Selecionando o material de estudos para 2ª fase da OAB

oab

               Olá desbravador da OAB! Você já começou a se preparar para a prova da segunda fase?

                Em meio a um mundo abarrotado de informações e conteúdos disponíveis, às vezes fica difícil organizar a rotina de estudos com um material que se adapte ao nosso tempo disponível e que abranja todo conteúdo exigido no Edital do Exame da Ordem.

                Por isso, quando for começar a estudar para a segunda fase da OAB, você precisa selecionar seu material de uma forma inteligente, para que você consiga ver toda matéria, independente do tempo que falta para a realização da prova.

                Seguem algumas dicas para você selecionar o melhor material de estudos, de acordo com as suas peculiaridades.

 

1. Tempo x volume de conteúdo.

                Cuidado com metas impossíveis. Se um candidato tem apenas três meses até a  prova, faz faculdade, trabalha, não adianta adquirir doutrinas gigantescas para estudar para segunda fase. Você vai apenas se frustrar por não ter conseguido enfrentar todo conteúdo.

                O jeito é buscar o material mais sucinto, como, sinopses, mapas mentais, suas revisões, apostilas, etc. Não se condene achando que seu material é superficial, afinal, é melhor conseguir estudar um pouquinho de tudo, do que deixar matérias importantes para trás. Se você souber ao menos o básico de cada matéria e conseguir manusear bem o VadeMecum no dia da prova, encontrará a resposta correta!

 

2. Vade Mecum sempre!

                  Falando em Vade Mecum, Este “livrinho” é indispensável para qualquer candidato, afinal, é com ele que você irá realizar a prova. Mas lembre-se de manter o seu Vade Mecum atualizado. Esqueça o apego sentimental pelo Vade que te acompanha desde o 5º período. E tome cuidado com as anotações feitas no material, pois elas podem te levar a ser desclassificado do Exame.

 

3. A prática leva à perfeição

                   Independentemente do tempo que você possui até a prova, os livros de prática são indispensáveis, pois eles possuem modelos de peças com roteiros, quadros sinóticos e esquemas que facilitam muito o aprendizado. Hoje as editoras oferecem uma infinidade desses materiais. Escolha preferencialmente aqueles que vem acompanhados de um breve resumo da matéria.

 

4. Provas anteriores da FGV.

                Essa dica vale ouro!Você PRECISA ler o máximo de provas dos exames anteriores. No site da FGV (http://oab.fgv.br/) você encontra todas as provas, acompanhadas do espelho de correção, daí, dá pra saber exatamente a forma como a Banca espera que você apresente suas respostas. Aqui é o momento de estudar o “estilo” da Banca. O ideal é responder o maior número de provas possíveis.

                Eu sei que seu tempo é curto, então, tente ao menos fazer a leitura minuciosa das provas e espelho de correção. Responda em poucas linhas qual o nome da peça, as teses e artigos principais, as peculiaridades do caso. Responda resumidamente também as questões e compare com o espelho de correção.

 

5. Adaptação é tudo

                Só praticando que você vai perceber se o material vai ser eficaz para seus estudos. Algumas pessoas preferem leituras mais aprofundadas, outras preferem resumos. Se você perceber que as coisas não estão fluindo, faça testes, readéque seu material à sua rotina. Assista vídeos, ouça áudios no trânsito, participe de grupos de discussão, etc. O importante é fazer sua parte, levando em conta suas possibilidades.

                 No final, tenho certeza que você vai conseguir! Espero ter ajudado mais um pouquinho, a traçar o mapa da sua aprovação para a OAB!

Postar um comentário

WhatsApp chat